##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Maria Luísa Ribeiro Ferreira

Resumen

O presente texto procura trabalhar algumas acepções do conceito de corpo em Espinosa atendendo aos seus aspectos físicos, psíquicos, metafísicos e políticos. Também toma em conta a dupla condição do corpo - enquanto existente na duração e enquanto pensado por Deus. A noção de “conatus”, presente em todos os corpos, é pretexto para lembrar a recente obra de António Damásio, A Estranha Ordem das Coisas e para comparar a potência individual que habita os indivíduos com a potência política que existe nas sociedades. É nessa perspectiva que se analisa o modo como o filósofo considera a condição feminina. tentando-se perceber a severidade com que ele encara a actuação das mulheres no corpo político. Sobre esta temática apresentam-se os posicionamentos de algumas filósofas feministas (Geneviève Lloyd, Moira Gaytens, Beth Lord e Margaret- Gullan Wuhr) apreciandose criticamente as suas teses. O texto termina com a interrogação «Estará vedado às mulheres o “amor intellectualis Dei”?», sustentando que no livro V da Ética encontramos elementos que asseguram às mulheres uma salvação de pleno direito, sem que para tal tenham que renunciar ao seu corpo.

##plugins.generic.usageStats.downloads##

##plugins.generic.usageStats.noStats##

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

##submission.howToCite##
RIBEIRO FERREIRA, Maria Luísa. Corpo potência e política - Espinosa e os direitos das mulheres. Co-herencia, [S.l.], v. 15, n. 28, mar. 2018. ISSN 2539-1208. Disponible en: <http://publicaciones.eafit.edu.co/index.php/co-herencia/article/view/5065>. Fecha de acceso: 20 ago. 2018
Sección
Monográfico I Spinoza. Araucaria, revista Iberoaméricana de Filosofía, Política